24 julho 2012

Essa Coceirinha na Cabeça Pode ser Piolho


A pediculose (piolhos) da cabeça é uma doença parasitária que atinge todas as classes sociais e raças e  principalmente crianças em idade escolar. O piolho não voa nem pula, ele é transmitida por contato direto ou através de bonés, gorros, pentes, tocas, escovas de cabelo, sofás, almofadas, bichos de pelúcia e etc. É muito comum que os surtos de piolho aconteçam quando a criança tem convívio com outras crianças. 
De acordo com o dermatologista Hélio Celestino da Silva, a pediculose é própria de crianças em idade escolar. “Piolho gosta de cabelo limpinho, sem oleosidade, por isso as crianças são o principal alvo. Os hormônios da adolescência já provocam a oleosidade do couro cabeludo”, explica.
Além disso, algumas pessoas são mais propensas a pegar piolho. “É o que a gente chama de tropismo. O piolho tem preferência por alguns tipos de couro cabeludo e não se adapta a outros”, esclarece.
Outro motivo para a rápida infestação de piolhos entre crianças é a inquietação dos pequenos. “Como criança pula muito, se movimenta o tempo todo, ele passa de uma cabeça para outra com muita facilidade”, acrescenta Celestino. “O piolho se instala no couro cabeludo e ali se reproduz. Ele fica agarrado na raiz do fio, onde enfia a boca pra se alimentar”, explica.
Os ovos do piolho são conhecidos como lêndeas, são de cor esbranquiçada e ficam grudados nos fios do cabelo
O piolho e a lêndea provocam intensa coceira no couro cabeludo, podendo atingir também o pescoço e região superior do tronco, atrás das orelhas, onde muitas vezes observamos pontos vermelhos semelhantes a picada de inseto. O ato de coçar pode promover infecção secundária por bactérias, com eventual aparecimento de gânglios no pescoço. 
O uso de pente fino para retirada dos piolhos e lêndeas é fundamental para exterminar esse parasita, ele irá remover, junto com o mediamento local, os piolhos e as lêndeas em sua totalidade. Os medicamentos usados sozinho, sem o auxílio do pente fino,  não eliminam ovos. As lêndeas não retiradas dão origem a novos piolhos. 
Quando a criança começar o tratamento (uso de shampoo e pente fino) os pais também devem observar seus cabelos para evitar a recontaminação. Deve-se usar o pente fino sempre que a criança chegar da escola; pois é importante detectar uma possível reinfestação o quanto antes já que o parasita se reproduz com muita facilidade.
O tratamento por via oral deve ser prescrito pelo médico pediatra ou dermatologista da criança; já que sua prescrição depende de peso/idade.
A escola deve ser comunicada quando da presença do parasita para que os outros pais verifiquem a cabeça de seus filhos, interrompendo assim o ciclo de recontaminação.
Uma das receitinhas popularmente conhecida para remover as lêndeas é misturar vinagre branco ou de maçã e água em partes iguais, embebendo os cabelos e abafando por meia hora antes de passar o pente fino.

Fonte: Sabará Hospital Infantil e Clara Duarte Psicopedagoga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É muito bom ter Você com a Gente!

 Blog Renata Massa